fbpx

O que são robôs colaborativos e quais padrões de segurança se aplicam a eles?

 OMRON – Um guia para segurança colaborativa de robôs – parte 1

Tipos de contato definidos pela RIA TS 15066 

Contato transitório: 

contato sem compressão 

Contato quase estático: contato que pode causar a compressão de uma parte do corpo 

Robôs colaborativos são projetados para trabalhar com operadores humanos graças a tecnologias como feedback de força, servomotores de baixa inércia, atuadores elásticos e tecnologia de detecção de colisão que limitam suas capacidades de potência e força a níveis adequados para contato. Mais compactos que robôs convencionais, os Cobots geralmente possuem estruturas leves com bordas arredondadas e macias e pontos de compressão minimizados. 

O monitoramento de força e velocidade são as habilidades que definem os robôs colaborativos. Quando estes são equipados com dispositivos de segurança que detectam quando uma pessoa entra no espaço de trabalho colaborativo, eles geralmente têm permissão para operar em velocidades mais altas. Isso os ajuda a maximizar a produtividade quando as pessoas não estão presentes na zona de risco. 

A norma de segurança ISO 10218 e a especificação técnica RIA TS 15066 definem as funções de segurança e o desempenho do robô colaborativo. Sob TS 15066, o monitoramento de força e velocidade do Cobot é definido com base nos dados da aplicação, na área de contato humana e nos perigos do espaço de trabalho. O contato humano é definido em dois tipos: transitório e quase-estático. O primeiro refere-se ao contato que não é de compressão, enquanto o último envolve situações que podem causar a compressão de uma parte do corpo. 

Dados da aplicação, possíveis contatos humanos e riscos do espaço de trabalho são considerados nas configurações de segurança calculadas com base na TS 15066. Essa pode ser uma tarefa desafiadora para os fabricantes que não estão familiarizados com padrões de segurança. Nesse caso, eles podem contratar um fornecedor de avaliação de segurança para executar os cálculos e sugerir melhoras na segurança da aplicação colaborativa em geral.